Arquivos de Tags: crise

A segunda “onda progressista” da América Latina: primeiro como tragédia, depois como farsa

A eleição de Lula, no Brasil, e de Petro, na Colômbia, em 2022, aumentou o ruído na mídia e nos círculos de esquerda sobre uma segunda “maré rosa” na América Latina. Essa é uma referência à onda de governos ditos “progressistas’ que governaram por vários anos, em vários países do continente, entre 1998-2015. Talvez seja mais apropriado descrever esses governos como uma maré “rosa”, pois certamente estão longe de serem “vermelhos” socialistas. É preciso examinar o caráter dessa primeira onda, os motivos que permitiram que ela durasse tanto, porque chegou ao fim, e as diferentes condições enfrentadas por esta nova onda.

Leia Mais »

Segue a greve dos roteiristas nos Estados Unidos

Continua a greve dos roteiristas de Hollywood, passado um mês desde seu início. Deflagrada no começo de maio, depois que 97,85% dos cerca de 11 mil membros do Sindicato dos Roteiristas (WGA) votaram favorável à paralisação, o movimento segue com piquetes e mobilizações em todo o país.

Leia Mais »

Como se constrói uma derrota

No último período assistimos a direção do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região (Sinsej) realizar uma perfeita demonstração de como se constroem as derrotas no campo sindical. Negligenciando os métodos da classe trabalhadora, ignorando o histórico de luta da nossa categoria, fracionando as pautas e dividindo os trabalhadores, abandonando o ponto de vista de classe e o compromisso político da entidade com a sua base, levando os trabalhadores a desacreditar na sua capacidade de mobilização e a abandonar sua identidade de luta.

Leia Mais »

Coreia do Sul: um ano de regime de Yoon Suk-yeol, o conflito de classes se intensifica

O dia 1º de maio marcou um ano desde que a direita conservadora voltou ao poder na Coreia do Sul sob o comando do presidente Yoon Suk-yeol, do Partido do Poder Popular (PPP). Este período foi marcado por ferozes ataques do governo à classe trabalhadora, com uma correspondente ascensão da militância de classe. À medida que a crise capitalista se aprofunda, a luta de classes sul-coreana alcançará novos patamares.

Leia Mais »

Estados Unidos: prisão de Trump aprofunda crise do regime

A situação política dos Estados Unidos está cada vez mais convulsiva. Pela primeira vez na história do país, acusações criminais foram feitas contra um ex-presidente. O fato de Donald Trump ser o atual favorito para a corrida presidencial pelo Partido Republicano em 2024 aprofunda ainda mais a crise do regime.

Leia Mais »

Congresso da CGT na França: a esquerda na ofensiva

O 53º Congresso da CGT [Confederação Geral do Trabalho], realizado no final de março, marcou uma virada na história dessa confederação sindical. Os 942 delegados se dividiram entre a esquerda e a direita, e se enfrentaram durante os quatro dias. Acima de tudo, a ala esquerda parecia mais forte e mais na ofensiva do que nunca, mesmo que a ala direita tenha conseguido manter o controle da direção e colocar um dos seus, Sophie Binet, como secretária-geral.

Leia Mais »

Israel: reforma judicial de Netanyahu divide burguesia e provoca enormes protestos

Uma luta mordaz e devastadora erupcionou dentro da classe dominante israelense. Faz apenas poucos meses que Benjamin ‘Bibi’ Netanyahu retornou ao seu posto, e ele está determinado a forçar o Knesset [Parlamento] de Israel a aprovar uma série de reformas judiciais. Ao fazer isso, ele enfureceu a maioria dos grandes capitalistas, que, por sua vez, tomaram a medida inusitada de impulsionar mobilizações com enormes multidões nas ruas. Quando a classe dominante parte para um conflito aberto dessa forma, ela carrega, consigo, o perigo de derrubar a farsa que em tempos "normais" dissimula o real funcionamento de seu domínio. O conflito presente não é uma exceção.

Leia Mais »

A decadência da esquerda que protesta para opinar sobre a taxa Selic

O Comitê de Política Monetária (Copom), órgão responsável por definir a taxa básica de juros no país, a chamada taxa “Selic”, reuniu-se quando ela estava fixada em 13,75% no dia 22 de março. O curioso sobre esse encontro foi que, no dia anterior, centrais sindicais e movimentos populares realizaram atos em todo o país para pressionar o Copom a reduzir a Selic. O resultado não foi nem de longe suficiente para causar qualquer pressão. A tentativa de levar a classe trabalhadora às ruas para opinar nos negócios da burguesia, ou seja, em negócios que envolvem a remuneração do capital e a exploração do trabalho, resultou em atos com algumas dezenas de pessoas, marcados pela presença da burocracia sindical e praticamente sem juventude.

Leia Mais »

França: a luta avança, Macron deve cair!

A manifestação em massa de ontem (23) na França levou a luta contra Macron a novos patamares. Nos últimos dois meses, o movimento (desencadeado por um novo ataque à aposentadoria) vem se intensificando. Autoridades do governo esperavam que tudo voltasse ao normal no fim de semana, contando com o enfraquecimento do movimento após a manifestação de quinta-feira. Eles estavam errados. Ontem, 3,5 milhões de trabalhadores e jovens inundaram as ruas da maioria das cidades da França, enquanto as greves e protestos assumiam um clima decididamente mais militante.

Leia Mais »